A Campanha

O que é a Linha Vermelha?

Vamos tecer e tricotar por todo o país linhas vermelhas!

Vamos unir todas as linhas numa só e criar a maior linha do mundo, numa manifestação em Novembro, que coincidirá com a Cimeira do Clima de 2017.

Queremos ganhar atenção nacional e mobilizar a nossa população para mostrar ao país que não queremos prospecção e exploração petrolífera e de gás em Portugal. Queremos criar super-heróis!

Porquê uma Linha Vermelha:

Esta linha vermelha quer ajudar a tornar visível a voz dos que têm dito e repetido – NÃO – à prospecção e exploração de hidrocarbonetos – aqui e no mundo.
Queremos também, através da tecelagem e do tricot, informar e mobilizar população, que de outra forma não estaria consciente e sensibilizada para este crime.

Vamos falar a uma só voz e dizer, através da linha vermelha, que já chegámos ao limite e que não o vamos ultrapassar!

Quem somos:

A campanha Linha Vermelha é organizada por pessoas preocupadas com o secretismo que envolveu as negociações dos contratos de prospecção e extracção de petróleo e gás natural no nosso País. Não podemos aceitar que tomem decisões destas sem que consultem os cidadãos.

Como começou:

A questão dos furos para prospecção e exploração petrolífera chegou pela primeira vez aos portugueses na Primavera de 2016. Desde essa altura, são várias as pessoas e organizações, tanto locais como nacionais, a pedir mais informações e esclarecimentos, e a protestar contra esta iniciativa.

A primeira Linha Vermelha, ainda sem campanha oficial, foi tecida entre os dias 25 e 30 de Junho de 2016 por um grupo de amigos activistas nos Jardins da Gulbenkian (também conhecida como Partex Oil and Gas), a protestar a licença concedida pelo Governo português.

Nesses cinco dias foi tecida uma linha vermelha de aproximadamente 60 metros. No dia 24 de Julho de 2016, a mesma Linha Vermelha, esteve no Cordão Humano em Tavira, uma acção contra a exploração de petróleo ao largo de Aljezur.

Posteriormente, a Academia Cidadã e o Climáximo juntaram-se para dinamizar esta ideia e fazer com que a linha vermelha, de 60 metros já tecida e tricotada, aumente e seja feita por pessoas de todo o País.

Este foi o início da campanha da Linha Vermellha. Escolhemos posteriormente o dia 12 de Novembro de 2016,  na Marcha pelo Clima, em Lisboa, para apresentar oficialmente a Linha Vermelha aos cidadãos que estiveram presentes e foi aqui que mostramos a primeira linha.

Uma campanha nacional feita por pessoas:

Entretanto a palavra chegou até à Susana Bettencourt que aceitou o desafio e vai contribuir com a sua Linha Vermelha e divulgar a campanha pelos seus contactos.

Em Sintra, a família Costa decidiu contribuir com a sua Linha Vermelha e justificou a sua participação desta maneira : “preservar o meio ambiente é uma questão de consciência” .

Depois disso, várias pessoas se têm juntado.

Os nossos parceiros:

Esta campanha é uma parceria inicial da Academia Cidadã e do Climáximo.

Contamos também com a colaboração de diversas pessoas, organizações e empresas espalhadas por todo o país.+